quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Brincadeiras nossas, árvore e folhas

O que se passa ali?…estamos a ouvir barulho…vamos espreitar!
Na sala, as brincadeiras surgem espontaneamente, quer seja sozinhos ou com os amigos… tentamos e voltamos a tentar, conversamos, resolvemos, criamos, aprendendo em cada situação.
A semana passada, fomos plantar uma árvore, todos os grupos de crianças da instituição foram com o nosso jardineiro plantar em vários locais uma árvore, nós ajudámos a plantar um carvalho. Com ajuda, lá colocámos o carvalho e depois com a enxada colocámos a terra para tapar o buraco. Ficou bonito o nosso carvalho, está ao pé do parque.
Brincámos na relva, comemos a fruta na rua e apanhamos folhas de eucalipto para fazer estrelas para decorar o refeitório. Temos andado muito atarefados com os trabalhos para o natal, mas ainda não podemos contar.


Animais e muito mais…


Ouvimos a História do “Patinho Feio”
Desta vez identificámos/classificámos os animais pertencentes a cada casinha, se estavam em casa ou não (noção de cheio e vazio) os seus hábitos, alimentação e sons que produzem …
Sabores de outono

Aproveitamos para ter mais um momento de partilha ao lanche, experienciando cheiros, sabores e texturas, conjugando frutas (pera, maçã, uvas e melão), “aperitivos”( queijo,  fiambre e presunto) e pão saloio.  

Demos início ao nosso projeto de Natal, aqui com o nosso calendário de advento, com muitas surpresas/atividades programadas para esta época festiva. 



quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Empilhar…1,2,3…empurrar…Caiuuu! 😊

Os nossos meninos começam a mostrar interesse em construir torres, umas grandes outras pequenas, todos os brinquedos da sala servem para empilhar e no final … toca a empurrar
Empilhar e derrubar blocos, pode parecer simples mas é uma atividade excelente para desenvolver competências como a coordenação e a destreza motora, a concentração e o auto domínio e ainda descobrir de uma forma muito divertida relações causa/efeito.
Brinquedos não estruturados “Rolhas”
Encher e esvaziar recipientes, morder, transferir de um lado para outro, equilibrar pratos cheios de rolhas, fazer lançamentos para acertar na caixa …  Assim se constroem as bases para a formação de importantes noções matemáticas
Um brinquedo chamado Natureza –Plantar uma floresta
Calçámos os sapatos, verificamos que não estava frio para vestir os casacos, enfiamos os nossos novos gorros e lá fomos nós para mais uma longa caminhada, desta vez fomos ajudar o nosso amigo jardineiro a plantar a árvore do nosso grupo.
A nossa árvore é uma Azinheira, em conjunto com todos os outros grupos estamos a renovar a nossa linda floresta.

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Plantámos uma árvore

Esta semana plantámos uma árvore no terreno que fica atrás do nosso parque infantil. A nossa árvore é um medronheiro. Tem umas folhinhas verdes e pequeninas. Agora temos de cuidar muito bem dela para que cresça forte e saudável.
Esta foi uma ação comum a todas as salas de acordo com o tema da natureza.
É desde pequenino que se deve motivar o respeito pela natureza e meio ambiente e os nossos meninos nesse aspeto são um exemplo. Deixamos-vos com imagens dessa atividade. 






sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Missão Pijama


Todos nós achamos muito divertido o Dia Nacional do Pijama, pois vimos todos vestidos de pijama. Só nesse dia é que vimos como ficamos giros de pijama.
Mas o verdadeiro sentido é outro… sensibilizar os adultos para os direitos da criança e, sensibilizar as crianças que há outros meninos que não têm casa nem família.
Que as Famílias e os profissionais da área da educação possam contribuir para que cada criança cresça feliz, todos os dias, que o façam da melhor forma que sabem, com todo o amor que carregam no nosso coração.






Percursos e Obstáculos


Fomos passear à rua, aproveitando uma trégua das chuvas da semana passada, vimos troncos grandes e pequenos, e as nossas “amigas crescidas” fizeram logo um percurso de obstáculos com materiais da natureza…”passa por cima, anda à roda do tronco, dá um salto, puxa o pau, espreita lá para dentro” …”até parece que estamos à caça do urso”…
E assim continuamos “à caça do urso”…encontrámos uma poça de água, “não podemos passar por cima”, “não podemos passar por baixo…Então: “pate, patinha” “pate, patinha”.
Passámos por cima de folhas, subimos para cima do tronco de uma árvore, “reste, restolha” “reste, restolha”…

Descemos escadas, subimos a “encosta”…e não encontramos o urso.

E assim exercitámos a nossa motricidade global, respirámos ar puro e aprendemos tantas noções de espaço. Divertimo-nos tanto!

Curiosos e exploradores “Cesto dos tesouros II”

Um novo Cesto dos Tesouros apareceu na sala, ainda mais rico que o primeiro. Durante 25 minutos os nossos bebés exploraram ativamente, escolher, pegar, largar, levar à boca, morder, sacudir foram as ações mais repetidas nesta tarefa de conhecer as propriedades dos objetos. 
 Ao acompanhar a exploração ativa dos mais crescidos, fomos atribuindo nomes aos objetos (um tubo, um pato, um garfo, …) e também aos atributos dos mesmos (…é cor de laranja, … é comprido), o que se pretende com estas atividades, é que os nossos meninos envolvam todos os sentidos na apropriação do mundo e associem a aprendizagem a situações de prazer e conquista.
Um brinquedo chamado natureza “terra”
“Brincar ao ar livre estimula o sistema imunitário” dizem os especialistas. É um prazer ver meninos com mãos e roupas sujas, com enormes sorrisos e cada vez mais capazes a nível motor.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Hospital dos pequeninos


Fomos ao hospital dos pequeninos. Cada criança trouxe de casa um boneco para “tratar” e aqui fica o registo do que cada criança se queixou, o tratamento efetuado e a cor da pulseira obtida na triagem.
Eu gostei de dançar e pôr o penso no meu bebé que tinha um dói-dói na bochecha. A pulseira era amarela (Ema); o meu boneco caiu e cortou a boca. Pus um penso na boca, a pulseira era vermelha (Guilherme); o meu bebé doía-lhe o braço e a barriga. Pôs um penso na barriga, a pulseira era vermelha (Julieta), o meu bebé estava a doer os ouvidos. Comeu vegetais, a pulseira era amarela; o meu bebé tinha piolhos. Tirei com uma pinça. A pulseira era verde (Leandro); o meu boneco tinha um olho inchado e tinha sangue na mão. Pus um penso. A pulseira era amarela (Rodrigo); o meu boneco tinha dores de barriga. Levou uma pica. A pulseira era vermelha (Mª Leonor); o meu caiu no chão. Dei uma vacina. A pulseira era verde (David); O meu tinha dor de garganta. Pus uma ligadura na garganta. A pulseira era verde (Sara); Umas abelhas picaram no bebé. Pus um creme de brilhantes. A pulseira era amarela (Laura); O meu tinha dores de barriga. Pus uma ligadura e fita para prender. A pulseira era verde (Leonor); O meu tinha dores de barriga. Pus uma ligadura com 2 fitinhas e tirou sangue. A pulseira era vermelha (Kyara); O meu magoou-se num braço. Pus um penso. A pulseira era amarela (Clara); o meu tinha varicela. Tirou sangue e levou uma pica. A pulseira era vermelha (Inês); o meu tinha dores de barriga. Pus um penso. A pulseira era vermelha (Matilde), o meu tinha dores e cabeça e no corpo. Pus um penso na barriga. A pulseira era amarela (Enzo); o meu partiu os braços. Dei-lhe remédio, tirou sangue e dei uma pica pus um penso nos braços. A pulseira era vermelha (Santiago).








Participação das famílias –


Com a Ana, mãe da Carolina Fonseca descobrimos as cores da natureza, fazendo experiências com diferentes folhas de plantas e com alimentos (espinafres).
Cortámos em pedaços bem pequenos as folhas e juntamente com uns grãos de areia esmagámos tudo num almofariz. Depois coámos essa mistura, juntamente com álcool, colocando em seguida um pedaço de papel absorvente. As cores foram aparecendo…


 E de tudo o que parecia verde, descobrimos outras cores “escondidas”.
Uma surpresa também nos aguardava: umas deliciosas e coloridas espetadas de fruta…


Dia do Pijama


No dia do pijama
Viemos todos a rigor,
Vestidos de pijaminhas
Prontos, para receber muitos miminhos e amor! 
Ao som de canções de embalar
Os nossos bonecos fomos deitar,
Mimando e embalando-os
Como toda a criança gosta de descansar!
Dançámos ao som da música
Que os “Calema” cantaram
Até comemos umas bolachinhas
Que tanto nos confortaram!
Obrigada a todas as famílias,
Que connosco colaboraram
Com o envio da casa mealheiro
Outras crianças ajudaram!

Grandes aquisições, estamos mesmo uns crescidos
A evolução na alimentação das crianças de berçário é feita de forma gradual e ao ritmo de cada uma, contudo chega o momento em que conseguimos, com algumas crianças, uniformizar os momentos e a alimentação em si.
Assim, mostramos como estamos a ficar crescidos, alguns de nós já nos sentamos à mesa, já iniciámos a fruta inteira e o segundo prato!



sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Com as mãos…


… manipulamos diversos objetos e materiais. Podemos fazer enfiamentos, “piquinhos”
 e bolinhas de papel crepe,
 moldar plasticina,
rasgar papel de revista
 montar e desmontar 


“O desenvolvimento da motricidade fina insere-se no quotidiano do jardim de infância, onde as crianças aprendem a manipular diversos objetos.”
In, Orientações Curriculares para a Educação Pré-escolar, p.58

A motricidade fina é a capacidade de executar movimentos finos com controlo e destreza das mãos e dos dedos, produzindo movimentos delicados e específicos. É uma das competências que deve ser desenvolvida desde tenra idade. É, a partir deste tipo de coordenação que permite à criança dominar o ambiente e proporcionar competências para manusear os objetos.