segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

As birras

 A criança à medida que cresce e começa a lidar com a realidade à sua volta vai-se sentir frustrada quando não conseguir obter o que deseja. Muitas vezes, essa frustração manifesta-se através de birras. As birras podem transformar-se em momentos de angústia para os pais que não sabem como lidar com a criança.

A birra é um comportamento que, se não for contrariado precocemente, pode levar a criança a interiorizá-lo como meio aceitável de se manifestar ou levar os outros a fazer o que deseja. Pais e educadores devem atuar o mais cedo possível e ensinar à criança formas alternativas para manifestar as suas vontades e lidar com as inevitáveis frustrações com que se depara no dia a dia.

Apesar de ser difícil lidar com este tipo de comportamentos, eles podem tornar-se óptimas oportunidades de ajudar a criança a aprender a conviver com sentimentos, como a frustração e a zanga, e a desenvolver a capacidade de auto-controlo. A tarefa dos pais é ensinar à criança outras formas de expressar as suas necessidades, e a aceitar o facto de que nem sempre lhe fazem a vontade.
Nestes momentos, é necessário que os pais não tenham receio de dizer não, explicando a razão de o fazerem. Cabe-lhes ensinar aos filhos que as birras não os farão mudar a sua opinião, bem como que o seu amor pelo filho não se alterará. Se mesmo assim não resultar, procure distraí-lo ou não lhe dê atenção por alguns minutos. Muitas birras terminam quando deixam de ter público e, com os pais por perto, tornam-se mais difíceis de controlar.

Após a criança controlar-se, felicite-a por ter optado pelo bom comportamento, e procure falar com ela sobre alternativas de conduta mais eficazes que as birras.

Só com firmeza as crianças aprendem a respeitar as regras propostas pelos pais. Aprender que tudo tem limites, abre caminho para um convívio saudável com os outros e para uma boa integração na sociedade.

 

Texto Adaptado do Site Oficina da Psicologia

Sem comentários:

Publicar um comentário